Comentários sobre ‘Miséria da diplomacia’

A diplomacia brasileira está em mudanças. Desde a eleição de Jair Bolsonaro em outubro de 2018, juntamente com o anúncio do então desconhecido Ernesto Fraga Araújo para chancelaria nacional, os analistas já notaram os ventos de mudanças no Itamaraty. O discurso apresentado pelo Sr. Araújo provinha de apenas duas fontes: seu blog, criado para o apoio na campanha de Bolsonaro, chamado ‘Metapolítica 17 – Contra o Globalismo’ e seu artigo nos Cadernos de Política Exterior chamado ‘Trump e o Ocidente’. Em ambos o novo Ministro de Relações Exteriores do Brasil apresenta tom messiânico na sua escrita. Trump é visto e enaltecido como um dos últimos pilares de salvação da cultura e espírito europeu, que na própria Europa já estaria, supostamente, à beira da morte. O chanceler ao menos não põem a culpa do fracasso da Europa a reconectar-se com seu próprio espírito em muçulmanos, imigrantes ou quaisquer forças externas, mas na Europa. A morte do Ocidente não provêm do externo, mas do interno, da corrosão, por parte dos ocidentais da sua cultura, modo de vida e instituições, principalmente a família e Deus.

Frente à essas ideias que agora dominam os discursos da chancelaria brasileira, é que o diplomata Paulo R. de Almeida escreve seu último livro, Miséria da Diplomacia – a destruição da inteligência no Itamaraty. Já tendo contato com os discursos e artigos de Araújo, iniciei a leitura deste livro, lançado em julho passado pelo autor. E sua acidez na escolha das palavras são tão racionais como cômicas (sem, em momento nenhum, perder o rigor e linha de sua argumentação). O professor Paulo Roberto traz, neste livro, um compilado de críticas às contradições do ministro Araújo. Busca compreender várias “definições não-definidas” utilizadas pelo governo, como: globalismo; globalismo cultural; marxismo cultural, ideologia de gênero, climatismo; etc.. O autor, portanto, faz o trabalho alheio: precisa ele mesmo definir o que é o marxismo cultural, mesmo o termo sendo utilizado pelo governo.

Para ilustrar melhor quais são essas contradições a que tanto me refiro, trago um exemplo utilizado por Almeida (2019, p. 52): se uma das faces do globalismo é exatamente a sobreposição das instituições nacionais por um corpo burocrático transnacional, que desmantela as forças nacionais, o Ocidente em si não seria uma força globalista? Pois EUA, França, Alemanha, Reino Unido e outras nações que estariam dentro do Ocidente, estariam a defender valores sobrenacionais/ocidentais, ou valores compartilhados de maneira transnacional, que se adequa na concepção dos antiglobalistas em algo globalista.

Em geral, não trouxe para vocês do Alma Política muito da sustância do livro de Paulo R. de Almeida, pois este é apenas uma sugestão para que vocês tenham contato com a obra “Miséria da Diplomacia“. Aos que hesitaram em lê-la após meus comentários, seja por apreço à figura do ministro Ernesto Araújo ou ao presidente da República, não hesitem. Buscar a compreensão de ideias críticas às suas é algo em falta no debate da política brasileira. Além do mais, Paulo Roberto não é alguém sujeito a receber o título de ‘comunista’ (como membros da direita  rotulam quem discorda de si, mesmo que próximos no espectro político). O diplomata dedicou um capítulo inteiro (Capítulo 3 – O marxismo cultural: um útil espantalho?) para críticas ao socialismo, comunismo, leinismo, maoísmo, etc.. Por fim, espero que identidades políticas não sejam uma limitação para que você leia este livro. Independente de quaisquer variáveis, a comunidade de Relações Internacionais brasileira deveria lê-lo. Rico em conteúdo e atual, “Miséria da Diplomacia” é essencial para os interessados na área de Política Externa Brasileira.

Para acesso gratuito ao livro, acesse o sítio eletrônico do professor: https://diplomatizzando.blogspot.com/2019/07/miseria-da-diplomacia-em-edicao-de.html

Bibliografia

ALMEIDA, Paulo R. Miséria da Diplomacia – A destruição da inteligência no Itamaraty. Boa Vista: Editora da UFRR, 2019.

Anúncios

Opina, comente! Seja livre para dar sua opinião nesta postagem de A Alma Política

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s