O Brasil e as Invasões Holandesas

Ligeira reflexão sobre as Invasões Holandesas ao atual nordeste brasileiro.

O Brasil, como parte do império colonial português, submetia-se às condicionalidades impostas pelo relacionamento de Portugal com o Sistema Internacional da época. A Metrópole unificou-se com a Espanha durante os 60 anos da União Ibérica (1580-1640), e, além de ter o Tratado de Tordesilhas invalidado neste período, também ocorreu a unificação dos conflitos das duas coroas com o resto do sistema. Ou seja, os conflitos armados entre a Espanha e a Holanda, exemplificados na Guerra dos Oitenta Anos (1568-1648) acabaram por implicar manutenções no relacionamento de Portugal com os Países Baixos. Frente a tal conjuntura, a Holanda cercou diversas propriedades coloniais da Coroa Portuguesa, tanto em territórios africanos (Angola), como na América.

O poderio holandês ocupou Salvador em 1604, mantendo sua estadia por volta de um ano. Logo mais, a Trégua dos Doze Anos (1609-1621) faz com que a relação Portugal-Países Baixos se tranquilize. Porém, com o fim da trégua, as ocupações na América Portuguesa retornam, e começa um longo período de invasões holandesas no litoral nordestino brasileiro, principal região econômico-exportadora da colônia na época. Segundo Boris Fausto, em seu livro História do Brasil, há uma divisão temporal em três recortes para entendermos melhor tais invasões.

A primeira ocorre entre 1630-1637, com a resistência de pernambucanos, porém, com a afirmação do poderio superior holandês. Já o segundo período seria de 1637-1644, com a administração de Maurício de Nassau e uma relativa estabilidade militar. Em suma, sua administração é reconhecida pelas reformas da infra-estrutura na região, com a vinda de crédito holandês via a Companhia das Índias Ocidentais. Além do mais, Nassau também pôs em prática a liberdade religiosa, permitindo que cristãos-novos pudessem professar sua antiga fé abertamente. O terceiro período é o da reconquista (1645-1654). A situação sistêmica havia se alterado, pois a União Ibérica havia se esfacelado, além de que, em 1652 a Holanda inicia-se uma guerra com a Inglaterra, reduzindo o potencial de investimento militar do país na sua colônia de facto dentro da América Portuguesa. Em 1648-1649 os brasileiros (se é que pudesse utilizar tal nomenclatura, já que a identidade nacional ainda não fosse sólida, e ainda muito vinculada a dos portugueses) venceram a Batalha dos Guararapes.

IMAGEM: MEIRELLES, Victor. Batalha dos Guararapes. 1879. Óleo sobre tela, 500 cm x 925 cm.

Anúncios

Opina, comente! Seja livre para dar sua opinião nesta postagem de A Alma Política

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: