A Fraternidade é Vermelha

Boa noite leitores do Alma Política. Hoje analisarei o filme A Fraternidade é Vermelha de Krzysztof Kieślowski. O último filme da carreira Kieślowski, e considerado por muitos a sua grande obra prima. O filme é a terceira parte da Trilogia das Cores, que estampa as cores e o slogan da Revolução Francesa. Kieślowski fecha a Trilogia das Cores mostrando as diversas facetas da fraternidade, e a desconexão das pessoas pelo sentimento fraterno.

A história começa pela modelo Valentine (Irène Jacob), que atropela um cachorro após sair de um desfile a noite. No dia seguinte, depois de olhar o endereço na coleira do cão, ela vai na residência do juiz aposentado Joseph Kern. Valentine descobre que o juiz espiona as ligações dos vizinhos, e seu sentimento inicial é de repulsa. Ao conhece-lo melhor, ela percebe a indiferença dele em relação as pessoas ao seu redor, o mesmo sentimento que assola a vizinhança do juiz. Por meio da espionagem dos telefonemas, o juiz expõe para Valentine as traições, as mentiras e as práticas ilícitas de seus vizinhos. A partir disso, ela começa a sentir um laço fraterno pelo juiz por se identificar com a solidão e melancolia presente nele.

Valentine e o juiz Joseph Kern começam uma amizade formada em meio ao choque de gerações, ela é uma jovem ingênua, bondosa e que acredita em um mundo melhor. Enquanto o juiz carrega consigo a experiência, a vivência de saber que o mundo não é tão bonito, e as pessoas não são inteiramente boas. Ele vê em Valentine o seu passado, os seus antigos ideais que foram moralmente sucumbidos após a terrível desilusão amorosa que ele teve. E é nessa desconexão que os dois tem com o mundo, que eles encontram conforto um no outro. A solidão de Valentine é mostrada por meio de suas ligações com seu namorado Michel, que está sempre distante dela.

Kieślowski é conhecido por sempre alternar o diretor de fotografia em suas obras, assim como fez na série Decálogo, ele faz na trilogia das cores a alternância de diretores de fotografia em cada obra. Aqui o diretor escolhido foi Piotr Sobocinski,e talvez de toda a  trilogia, o trabalho de fotografia em A Fraternidade é Vermelha é o melhor. O filme inteiro é regido pela cor vermelha,  seja um vermelho vivo exibido no ensaio fotográfico de Valentine, ou um vermelho gasto e amarronzado presente na casa do juiz.  O vermelho representa o amor,  a solidão dos personagens e a tristeza que cada um leva dentro de si. Cada tom de vermelho emana um significado oculto e carrega consigo um sentimento, que é realçado pela atmosfera fria do filme.

A trilha sonora é composta por Zbigniew Preisner, compositor em várias obras de Kieślowski. Ele consegue fazer em A Fraternidade Vermelha uma trilha que interage com os momentos de solidão de Valentine, mas que acaba por não fluir em outros momentos, raramente conseguindo captar o sentimento presente na cena. A trilha sonora fica um pouco abaixo da qualidade de outros filmes em que Preisnr compôs, e muito abaixo do primeiro filme da trilogia das cores, A Liberdade é Azul.

Em A Fraternidade Vermelha as imagens são traduzidas não apenas para a compreensão lógica que assimilamos ao assistir um filme, mas também para transmitir um sentimento. Kieślowski sempre expressou no cinema a vida de pessoas comuns, que se sentem deslocadas diante da sua própria existência, e na qual se vêem impotentes diante de seus próprios erros. Valentine e o juiz Joseph Kern são essas pessoas comuns, exteriormente estáticas, mas que interiormente carregam dentro de si a energia de uma paixão avassaladora. E em seu último filme Kieślowski demonstra a força que a fraternidade tem de mudar as pessoas. A Fraternidade é Vermelha é a síntese da carreira de Krzysztof Kieślowski, talvez o diretor mais humanista que já existiu.

Anúncios

Um comentário em “A Fraternidade é Vermelha

  1. Olá Guga. Bom dia. Vou ler. A propósito enviarei um vídeo de internet, w.app. ver o que você acha dele. obrigado.

    Curtir

Deixe uma resposta para Jose celio Oliva Grudzin Cancelar resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s