A volta do projeto!

cropped-cropped-cropped-alma_1.png

Bom dia a todos! Com muita honra que eu, Gustavo Milhomem Cardoso, anuncio a retomada do projeto Alma Política, criado há alguns anos por mim e Vinicius Pires. Com toda a satisfação e agradecimento ao co-criador do projeto, ele não está mais na equipe por trás do site.

Além disso, há algumas mudanças significativas nessa retomada Alma Política:

  • Novo domínio em breve! Em menos de um mês, deveremos mudar o domínio do site de “almapolitica.org” para “almapolitica.com”. Portanto, estejam atentos às mudanças.
  • Sem página no Facebook. O Alma Política agora é exclusivamente um blog, com foco total dos autores para o conteúdo aqui do site.
  • Novas seções culturais! O AP ampliará sua temática, de maneira a abordar questões culturais.
  • Compromisso com data. Um problema que o AP tinha no passado era sua irregularidade com as publicações. A partir de agora, haverá maior regularidade de postagens.

Agora, passo a palavra para o mais novo membro do Alma Política, Arthur José

Eu sou Arthur Ribas, o mais novo membro do aclamado site Alma Politica, e tenho como foco abordar em meus artigos conteúdo voltado principalmente a cinema  e assuntos relacionado a cultura. Tenho dezoito anos e sou um futuro estudante de cinema na Universidad del Cine em Buenos Aires, a convite do meu grande amigo Gustavo Milhomem venho participar dessa experiência de compartilhar a minha visão cinematográfica para um público e tenho grandes expectativas sobre esse novo projeto pessoal. Sou adepto a um cinema humanista, social, sensorial e poético.

Sobre minhas analises sobre cinema:

  • Primeira análise sobre o cinema humanista e identitário de  Walter Salles, para uma melhor analise foram selecionados os seguintes filmes: Terra Estrangeira, Central do Brasil, Abril Despedaçado e Diários de Motocicleta.
  • Segunda análise  sobre o cinema líquido e silencioso de Wong Kar Wai, para uma melhor analise foram selecionados os seguintes filmes: Dias Selvagens, Anjos Caídos, Amores Expressos, Amor a Flor da Pele, 2046 – Os Segredos do Amor.
  • Terceira análise sobre o cinema humanista e político de Krzysztof Kieślowski, para uma melhor analise foram selecionados os seguintes filmes: Sorte Cega, Não Mataras, Não Matarás, A Dupla Vida Véronique e a Trilogia das Cores.

Minhas análises para o Alma Política serão sobre a filmografia de diretores e ocasionalmente sobre filmes avulsos. Pretendo expandir minhas analises, não só tratando sobre filmes, mas também sobre movimentos ou notícias importantes vinculados a sétima arte.

Agradeço a todos, e vida longa e próspera a nova jornada que iniciaremos no AP.

Anúncios

Opina, comente! Seja livre para dar sua opinião nesta postagem de A Alma Política

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: