Loucura de “intelectuais”

Um dos maiores feitos de um país para se alcançar um desenvolvimento saudável para sua população é a educação. A compreensão do mundo e o dinamismo econômico deve ser entendido pelos estudantes, principalmente de ensino superior. E neste ponto surge apenas um de tantos problemas da escolarização brasileira: professores doutrinadores, que cessam a liberdade de pensamento de seus alunos, além de aparar suas asas, limitando-os a um pensamento majoritário nas escolas e faculdades: o esquerdismo. O caso mais recente é orquestrado por Marilena Chauí, “filósofa” e “intelectual esquerdista”.

Eu acredito que, a melhor forma de superarmos a ameaça esquerdista e sua imposição no nosso dia-a-dia é, de maneira sábia, ignora-los, e ao invés de discutir assuntos óbvios como “é golpe ou não?”, estudando discussões de livre mercado e liberalismo, algo mais útil e funcional. Mas nos atenhamos às salas de aula: Marilena Chauí, recentemente, acusou o juiz Doutor Sérgio Moro de ser treinado pelos EUA (FBI) para roubar do Brasil o pré-sal, além desse comentário esdrúxulo e mentiroso, soltou outra pérola no mesmo vídeo: “(…) o Temer e o Serra vão passar o pré-sal, privatizado, para as empresas norte-americanas. Eles estão destruindo a economia brasileira; eles estão destruindo a soberania brasileira, e eles estão comprometendo as gerações futuras de brasileiros. (…) É uma tentativa de destruir o lugar que o Brasil construiu como líder dos Brics (…) Esta é a definição do governo Temer: a destruição da democracia, da República e do futuro”.

Bem, deve ser vergonhoso para uma das maiores “intelectuais” da atual esquerda usar argumentos tão irrisórios, pífios, sem base. Descontruamos  seu pensamento por partes:

1° – Não há fatos, provas, ou comprovações alguma que relacione o juiz Sérgio Moro à equivalente da PF nos EUA, FBI. As palavras de Marilena são jogadas ao vento, sem sustentação alguma na realidade, idêntico ao que se fazia no século passado no Brasil: todo e qualquer erro cometido pelos nossos governos/economia, segundo a esquerda, isentava-se a culpa dos governantes e era atribuída totalmente ao “imperialismo estadunidense”.

2°- Palavras ao vento novamente: Temer e Serra (ministro das Relações Exteriores) não expuseram em momento algum intenção de privatizar o pré-sal, até porque essa ideia foi idealizada e realizada pelo governo Dilma em 2013, no leilão do Campo de Libra, na bacia dos Santos.

3°- Ela também diz que o pré-sal vai ser passado para as empresas dos EUA. Mas o resultado do leilão de 2013 indica o contrário. Pelo edital, 40% do leilão, independente do resultado, já estava destinado para a Petrobras (que inclusive ficou com a maior parte). Dos outros 60% do Campo de libra, ficou determinado: a anglo-holandesa Shell e a francesa Total, com 20% cada uma, e as estatais chinesas, CNPC e CNOOC, com 10% de participação cada. Como vocês leram: nenhuma estadunidense!

4°- O líder do BRICS, se é que tem, é a China. Além de uma economia maior, em todos os projetos que necessita de capital do BRICS, a China sempre injeta uma porcentagem de dinheiro maior que os outros países. Além de que a Rússia, apesar de uma economia menor que a nossa, tem uma influência maior no campo militar, já que tem uma forte herança bélica da URSS.

Este é o perfil dos professores de nossas universidades? Um verdadeiro desserviço a população em geral. Mas continuemos, e não nos limitemos mais à “filósofa” Marilena Chauí. Na USP é muito comum os “piquetes de greve”, já proibidos pela justiça, que é uma forma de pontos isolados de greve feitas pelos alunos. O professor Sylvio Salinas, do Instituto de Física da USP, foi desrespeitado pelos seus alunos (confira no vídeo clicando aqui). Um outro professor, este já da UFBA, obrigou seus alunos a ir numa manifestação em defesa do governo Dilma, e além do mais, escrever uma resenha sobre a manifestação em questão (para mais informações, clique aqui). Isto é liberdade? Onde estão as revoltas com tais professores que limitam o pensamento individual e o desenvolvimento de ideias diversas nos campus? Longe eu de fazer uma crítica ao pensamento da esquerda, mas desde que seja feito de maneira concisa, bem argumentada.

Por fim, retornando para Marilena Chauí, ela afirma: “a classe média é uma abominação política, porque é fascista, é uma abominação ética porque é violenta, e é uma abominação cognitiva porque é ignorante. Fim.”. Estranho, não? Ela, com um salário de R$23.508,00 (somente pela universidade, sem contar outros ganhos), criticar a classe média. Por que? Se você for de classe média, mas criticar a classe econômica a que pertence, você se isenta do que disse? Bem, ela afirma que a classe média é fascista. Mas o fascismo é um sistema com privilégios para grandes empresas e empresários com boas conexões políticas, centraliza a economia e toda a organização burocrática num estado inchado e ineficiente, com um forte teor nacionalista e negando direitos e liberdades individuais… Mas essa descrição não é exatamente dos governos que Marilena Chauí apoia? …

Garfield1
Algo semelhante ocorre com os alunos de professores “baseados no vento”
Anúncios

Um comentário em “Loucura de “intelectuais”

Adicione o seu

  1. Gustavo, gosto de ver Você, participando em ensaios na Politica, economia…..proposta e estudos para melhorar a humanidade. Mas penso que é muito cedo para você aderir a um “lado”, esquerda ou direita ou muito pelo contrario…….Ótimo ver suas publicações. Ótimo participação. Continue…….Abraços.

    Curtir

Opina, comente! Seja livre para dar sua opinião nesta postagem de A Alma Política

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: